AÇÃO DA POLÍCIA
9 de Janeiro de 2018

Durante interrogatório, BH nega ser faccionado ou que tenha pagado por fuga

O preso Sthephan de Souza Vieira, o “BH”, foi interrogado formalmente na terça-feira (9) pela delegada Myrian Vidal, titular da Draco (Delegacia Estadual de Repressão às Ações Criminosas Organizadas). Durante sua oitiva, BH negou ser faccionado a qualquer organização criminosa e disse que não tem responsabilidade pelas rebeliões ocorridas em unidades prisionais de Goiás no começo deste ano.

Embora as investigações apontem que houve pagamento de R$ 100 mil pela fuga, BH também negou reiteradamente que tenha pagado qualquer valor para que sua fuga fosse facilitada ou efetivada. Ele evadiu-se da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, no dia 6 de novembro do ano passado e foi recapturado no último domingo (07/01), em Cabo Frio (RJ).

De acordo com a delegada, durante o interrogatório, BH afirmou que, ao ser transferido para o regime semiaberto, recebeu uma “camisa de amarelinho”, para poder realizar trabalho interno na unidade. “Ele conta que percebeu que dava para ir embora e fugiu sozinho, negando que tenha sido ajustado qualquer valor para a fuga”, destacou Myrian.